BENVINDO

Minha foto

 Sou servo do Senhor desde 2001,sirvo a Deus na Igreja do Evangelho Quadrangular,  obreiro formado no Instituto Teológico Quadrangular, professor da Escola Bíblica,  casado com Elisângela a 25 anos , pai de 2 filhos maravilhosos,  buscando cada dia conhecer mais ao Senhor. Meu maior desejo é ser " uma bênção" e abençoar àqueles que estão perto e através da web os que estão longe.  Que as bênçãos do Senhor seja transbordante sobre a sua vida, sobre sua casa , sobre sua família, sobre o seu ministério, querido(a) e amado(a) irmão(ã) em Cristo Jesus. 

domingo, 21 de janeiro de 2018

Passos para grandes conquistas

 Texto: Zacarias 4:6-10

Introdução: Quantos gostariam de participar de grandes conquistas espirituais?

Hoje vou falar de Zorobabel, um personagem pouco conhecido, mas muito usado e abençoado por Deus. Deus o chamou de “anel de selar”. 
Deus é capaz de realizar coisas maravilhosas, através de você, mesmo que não se sinta preparado. Deus fará porque Deus é Deus.
Zorobabel não se sentia preparado. Então, Deus usa Zacarias para trazer uma palavra que mudaria a sua vida.

Nesta passagem encontramos 5 passos que mudaram a vida de Zorobabel e com certeza, mudarão a sua também.

1. Primeiro passo: Dependa do Espirito Santo. V. 6

Você quer ser um vitorioso? Dependa do Espírito Santo. 

Deus entregou uma missão a Zorobabel, e disse-lhe que não poderia ser feita pela sua própria força. Tinha de depender do Espírito Santo.

Deus disse isso porque sabe que gostamos de fazer as coisas do nosso jeito, de ter o controle de tudo na nossa mão. Isso sempre falha e nos frustra. Como Deus não quer que nos frustremos, diz: “dependa do meu Espírito”

Outro motivo: As vezes nos apoiamos em outras pessoas, e quando elas não atendem nossas expectativas, nos decepcionamos. Daí, Ele diz: “dependa do meu Espírito”

Se alguém falhou com você, Deus não vai lhe desapontar. Ele é fiel e cumprirá o que prometeu.
Pessoas me abandonaram, saíram do meu sonho, e não foram poucos, mas o projeto de Deus não parou, porque Ele nunca me abandona! Deus está levantando uma Igreja que não se abala, porque a nossa Esperança está nEle. 

Zorobabel recebeu uma tarefa e, Deus disse: “não dependa de ninguém, a não ser do poder do meu Espírito. Deus diz à você: “Você fará a minha obra pelo poder do meu Espírito”

2. Segundo passo: Não olhe para as circunstâncias. V. 7

Eles estavam cansados, desanimados, fracos. Tinham uma montanha de dificuldades. Acho que Zorobabel pensou: “Como vou fazer isso?”. 

Nós queremos avançar, mas muitas “montanhas” se levantam diante de nós. Mas, assim como o Senhor falou a Zorobabel, Ele fala a você e diz às montanhas à sua frente: 7 “Quem você pensa que é, ó montanha majestosa? Diante de Zorobabel você se tornará uma planície”

- No lugar do nome Zorobabel, coloque o seu nome: “Quem você pensa que é, ó montanha majestosa? Diante de... você se tornará uma planície”.

O salmista declara: “Muitas são as aflições do justo, mas o SENHOR de todas o livra”. Salmos 34:19
Jesus disse: Se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele passará. “Nada vos será impossível”. Mateus 17.20

Creia: Tudo que o tem impedido de chegar à vitória. Toda montanha que está a sua frente, se moverá pelo poder do Espírito Santo. 

Não sei se a sua montanha se chama finançasproblema conjugalfamiliarenfermidadecrisedesanimotristeza. Hoje o Senhor diz: “Montanha majestosa, quem você pensa que é, vá embora” e, ela será uma planície.

3. Terceiro passo: Proclame as bênçãos do Senhor na sua vida. V. 7

Há um princípio aqui: As palavras criaram o mundo: “Deus disse haja luz, e houve luz”. 

As suas palavras criarão o mundo que você quer estabelecer, porque as suas palavras tem poder. Provérbios 18:21- “A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto”.

Este é ensino é importante: O linguajar direciona a sua vida.

Não se deixe impressionar por aquilo que você acha fora das suas possibilidades. Grite: “Deus abençoe! Deus abençoe!”. Mude as circunstancias com essa ferramenta poderosa que Deus lhe deu.
- Fique em pé, olhe pra a Igreja, levante a suas mãos e grite: “Deus abençoe! Deus abençoe!” 
- Pegue a sua carteira e diga: “Deus abençoe! Deus abençoe!”.
- Olhe para o seu cônjuge e diga: “Deus abençoe! Deus abençoe”
- Faça isso com tudo que lhe pertence.
- Diga um ao outro: “Deus abençoe! Deus abençoe!”

4. Quarto passo: Não abandone o projeto de Deus para a sua vida. V. 9

Nunca se esqueça: Deus é capaz de concluir o que começa. 
Eu não sei o que tem lhe impedido das conquistas, mas Deus vai agir, e você vai dizer: milagre! Porque Deus é um Deus de milagres.

5. Quinto passo: Não despreze as pequenas coisas. V. 10

Zorobabel iniciou desprezando as coisas pequenas. Deus enviou-lhe Zacarias para encorajá-lo. Ele acreditou e alcançou grande êxito.

Não despreze as “pequenas coisas”, pois temos um Deus grande. Esta é a Mensagem de hojeSe Deus fez com Zorobabel, quando tudo era muito pequeno, fará com você, conosco. Amém?!

- Eu vou encerrar lendo 2 promessas: “O seu começo parecerá modesto, mas o seu futuro será de grande prosperidade Jó 8.7 “Olhem para Abraão, seu pai, e para Sara, que lhes deu à luz. Quando eu o chamei, ele era apenas um, e eu o abençoei e o tornei muitos Isaias 51:2

Talvez você não se sinta nem o ‘um’, mas um ‘zero’. Mas se você tiver Deus com o ‘1’, esse ‘0’, terá grande significado. Porque o ‘0’ = ‘você’, nas mãos do ‘1’ – ‘Deus’, se tornará milhares.

Conclusão: Nós aprendemos coisas tremendas hoje. Lembremos-nos delas. Elas transformarão sua vida:
1. Dependa do Espírito Santo
2. Não olhe para as circunstâncias.
3. Proclame as bênçãos do Senhor 
4. Não abandone o projeto de Deus 
5. Não despreze as pequenas coisas

Autor: Rev. Noidy Barbosa de Souza

Determinação, a chave da vitória

 Texto: Êxodo 7, 8, 9,10 e 11
Introdução: É interessante e ao mesmo tempo estranhas as formas de Deus se manifestar na história humana; o que pra nós muitas vezes constitui-se num grande conflito e problema, para Deus significa apenas mais um ato da sua soberana vontade sobre nós. Muitas vezes encontramos dificuldades de entender os planos e propósitos de Deus nas nossas vidas, principalmente quando as coisas começam a dar errado, quando portas se fecham diante de nós, quando entramos num período de adversidades e tribulações.
O esperar em Deus para nós, muitas vezes constitui-se numa tortura psicológica, emocional e espiritual. Davi teve que aprender por diversas vezes a esperar no Senhor e crer na sua solução, ele não desistiu dos seus sonhos, mas aprendeu a perseverar em Deus. Salmo 42 e 62.
1. Deus poderia ter convencido a Faraó desde a primeira praga, mas Ele queria manifestar a sua glória e o seu poder nas terras do Egito e na vida de Moisés também. Moisés, já tinha se demonstrado fraco e cheio de evasivas em Midiã e incapaz de executar os planos de Deus. As dez pragas era um teste de perseverança para ele.
2. Outro fato digno de nota foi a história de Naamã registrada em 2º Reis 5. Ele recebeu uma direção de Deus, através do profeta Elizeu, para que se banhasse sete vezes no Rio Jordão. Ele poderia ser curado na primeira vez, mas Deus queria tratar o caráter de Naamã, por isso ele teve que fazer sete tentativas para receber o seu milagre.
3. Ainda podemos citar a história da conquista de Jericó por Josué, registrada em Josué 6, quando Deus mandou Josué rodear a cidade durante sete dias e no sétimo dia, sete vezes para que as muralhas de Jericó caíssem. Destarte, eles tentaram sete vezes para que Jericó fosse conquistada.
4. Pedro já havia tentado pescar durante toda a noite, imagine quantas vezes que ele já tinha lançado as redes! Mas quando Jesus deu a ordem para que ele lançasse as redes novamente, não hesitou, lançou novamente as redes e pescou uma grande quantidade de peixes, possivelmente, tenha sido a maior pesca de toda sua história. Lucas 5.1-11
5. Precisamos aprender a fazer novas tentativas ou a tentar várias vezes até que as portas se abram e as conquistas aconteçam. Não podemos dar crédito ao conceito racionalista que é o chamado: conceito das três tentativas. Muitas pessoas estão fracassadas e paralisadas na vida porque usaram estes argumentos: Já tentei três vezes, já perdoei três vezes, já falei com meu filho três vezes, Já tentei o vestibular, três vezes, já tentei estudar três vezes, já tentei salvar meu casamento três vezes, já tentei tal emprego ou negócio três vezes. Tal conceito não se trata de princípio bíblico, mas, mero racionalismo e filosofia humanista. Precisamos tentar quantas vezes for necessário para que as bênçãos venham até nós.
6. Thomas Edson tentou mais de 2000 vezes para conseguir a inventar a lâmpada elétrica. E quando alguém disse para ele: você fracassou! Ele respondeu: Não fracassei apenas descobri mais de 2000 formas de não se inventar a lâmpada elétrica.
Minha Mãe criou seis filhos e depois dos quarenta anos foi estudar, fez vestibular três vezes e não passou, mas não se deu por vencida. Na quarta tentativa ela passou. Estudou, se formou, trabalhou, fez mais de dez concursos e passou em quase todos eles, aposentou-se como funcionária pública estadual e até hoje continua tentando, está próspera e bem sucedida. Está melhor de vida do que alguns dos seus filhos.
7. A mãe de Beethoven, já tinha tentado gerar um filho por três vezes, e tinha sofrido três abortos, mas na quarta tentativa gerou um dos maiores músicos da história, chamado Beethoven.
8. Abraham Lincoln tentou dez vezes para chegar à presidência dos estados Unidos.
9. A Pastora Ludmila Ferber compôs um lindo cântico que diz: Não desista não pare de crer, os sonhos de Deus jamais vão morrer, não desista não pare de lutar, não pare de adorar, levanta os seus olhos e vê, Deus está restaurando seus sonhos e a sua visão. Aleluia! Lembre-se, Moisés tentou dez vezes para ter a solução de Deus, Naamã sete vezes, Josué sete vezes, Pedro inúmeras vezes. E você quantas vezes já tentou.
Conclusão: Creia que você não fracassou tudo que se passou com você até aqui, foram caminhos e situações determinadas por Deus para tratar o seu caráter e fazer de você um grande vencedor. Creia também que em todas as suas tentativas Deus sempre esteve e estará presente. Continue tentando até a benção chegar.
Pr. Paulo Cézar Martins

A Formação de um Valente

 Texto: “Davi disse a Saul: Não desfaleça o coração de ninguém por causa dele; teu servo irá e pelejará contra o filisteu. Porém Saul disse a Davi: Contra o filisteu não poderás ir para pelejar com ele; pois tu és ainda moço, e ele, guerreiro desde a sua mocidade. Respondeu Davi a Saul: Teu servo apascentava as ovelhas de seu pai; quando veio um leão ou um urso e tomou um cordeiro do rebanho, eu saí após ele, e o feri, e livrei o cordeiro da sua boca; levantando-se ele contra mim, agarrei-o pela barba, e o feri, e o matei. O teu servo matou tanto o leão como o urso; este incircunciso filisteu será como um deles, porquanto afrontou os exércitos do Deus vivo” (1 Samuel 17.32-36).
1. Um valente é formado em simplicidade e nas coisas simples.
"Perguntou Samuel a Jessé: Acabaram-se os teus filhos? Ele respondeu: Ainda falta o mais moço, que está apascentando as ovelhas. Disse, pois, Samuel a Jessé: Manda chamá-lo, pois não nos assentaremos à mesa sem que ele venha" (1 Samuel 16.11).
O preparo de Davi se deu no campo. Enquanto apascentava as ovelhas, ele orava, tocava sua harpa (adorava) e expulsava os predadores.
2. Um valente é confirmado não pela sua capacidade ou treinamento, mas pela “Unção” que traz sobre ele e o “Controle do Espírito”.
"Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer" (João 15.5).
"quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir" (João 16.13).
O treinamento de uma valente objetiva a sua rendição incondicional ao Espírito Santo.
3. Um valente é um (a) homem (mulher) de caráter. Adorador, Intrépido, Indomável contra o inimigo, Ousado na Palavra e tratável para com todos "Então, respondeu um dos moços e disse: Conheço um filho de Jessé, o belemita, que sabe tocar e é forte e valente, homem de guerra, sisudo em palavras e de boa aparência; e o Senhor é com ele" (1 Samuel 16.18).
4. Um valente preserva seus ensinos, nunca se esquece do seu treinamento. 
A Unção veio sobre Davi, mas em todas as circunstâncias não deixava o cuidado das ovelhas.
A Unção não nos exalta, mas reaviva sempre a nossa formação e instrução, de onde saímos e quem cooperou na nossa trajetória e principalmente não nos desconecta do rebanho (1 Samuel 17.12-20).
- Jesus e Pedro – (João 21.15-17).
- O Zelo de Paulo – (Atos 20.28-30).
5. Um valente sabe conviver com incompreensões, afrontas e resistências. 
Até mesmo quando essas dificuldades são encontradas entre os próprios irmãos (1 Samuel 17. 23-31).
6. Um valente nunca peleja com as armas e armaduras alheias.
O valente de Deus é autêntico, conhece suas limitações (“não posso andar com isso”) e sabe que o Deus que o livrou de tantas situações, continuará a livrá-lo de tantas outras - "Disse mais Davi: O Senhor me livrou das garras do leão e das do urso; ele me livrará das mãos deste filisteu. Então, disse Saul a Davi: Vai-te, e o Senhor seja contigo" (1 Samuel 17.37).
7. Um valente bem treinado sempre fará menção do nome do Senhor.
Revelando em quem está a sua confiança, sabendo que por esse nome não somente ele, mas todo o Povo de Deus mantêm-se em triunfo, subjugando os inimigos.
"O filisteu também se vinha chegando a Davi; e o seu escudeiro ia adiante dele" (1 Samuel 17.41).
Veja: Salmo 20.1-9; Provérbios 21.31.
Conclusão: “Assim Davi prevaleceu contra o filisteu, com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou sem que Davi tivesse uma espada na mão“ (1 Samuel 17.50).
Pr. Israel Carlos P. Teles

Uma tríplice benção

 Texto: Apocalipse 1:3
Introdução: O lugar, quem escreveu e sob que circunstâncias.
I – Bem-aventurado o que lê.
1. Há diferença entre ler e ler.
a) Há muitos que lêem e nada compreendem.
b) Outros lêem e não assimilam.
2. Os que assimilam, aprendem a temer a Deus. – Deuteronômio 17:18, 19; Jeremias 15:16.
3. Devemos examinar e entender as Escrituras. - Atos 8:30; João 5:35.
a) O exame sincero produz luz e entendimento. – Salmo 119:130.
4. Não examinando, estamos sujeitos ao erro, – Mateus 22:29.
a) Os judeus rejeitaram a Jesus por não lerem as Escrituras. – Lucas 24 :25-27.
II – Bem-aventurado o que ouve.
1. Há diferença entre ouvir e ouvir.
a) Há pessoas que ouvem só com os olhos.
b) Outras ouvem, mas não procuram entender o que ouvem.
e) Estes são inconstantes. – Tiago 1:22-25.
2. A fé vem pelo ouvir. – Romanos 10 :17.
3. Será bem-aventurado o que ouve e compreende. – Provérbios 8:34; Mateus 13:23.
III – Bem-aventurado o que guarda.
1. Pouco adiantará se lermos e ouvirmos mas não guardarmos. Tiago 1:22-24.
2. Deus requer obediência restrita à Sua Palavra. - I Samuel 15:22; Romanos 2:13.
3. Guardando Sua Palavra, somos abençoados. – Êxodo 19:5; Tiago 1:25.
a) O que disse Jesus aos mariólatras. – Lucas 11:27, 28.
4. Os que guardam a Palavra do Senhor estão edificados sobre a Rocha dos Séculos. – Mateus 7:24; Eclesiastes 12:13.

Não Basta!

 Texto: “Ora, ensinava Jesus no sábado numa das sinagogas. E veio ali uma mulher possessa de um espírito de enfermidade, havia já dezoito anos; andava ela encurvada, sem de modo algum poder endireitar-se. Vendo-a Jesus, chamou-a e disse-lhe: Mulher, estás livre da tua enfermidade; e, impondo-lhe as mãos, ela imediatamente se endireitou e dava glória a Deus. O chefe da sinagoga, indignado de ver que Jesus curava no sábado, disse à multidão: Seis dias há em que se deve trabalhar; vinde, pois, nesses dias para serdes curados e não no sábado. Disse-lhe, porém, o Senhor: Hipócritas, cada um de vós não desprende da manjedoura, no sábado, o seu boi ou o seu jumento, para levá-lo a beber? 16Por que motivo não se devia livrar deste cativeiro, em dia de sábado, esta filha de Abraão, a quem Satanás trazia presa há dezoito anos? (Lucas 13.10-16).
Introdução: Hoje, vamos estudar sobre a história de uma mulher que vivia enferma já há dezoito anos sem de modo algum poder endireitar-se, contudo, esta mulher vivia numa sinagoga (igreja). Era filha de Abraão (herdeira das promessas), mas ainda assim, andava encurvada e oprimida, sua alma não era livre para servir e adorar ao Senhor Jesus.
Precisamos ter uma alma livre para viver e servir ao Senhor.
1. Não basta dizermos que somos crentes, precisamos ser libertos!
“E veio ali uma mulher possessa de um espírito de enfermidade, havia já dezoito anos; andava ela encurvada, sem de modo algum poder endireitar-se” (v.11).
2. Não basta dizermos que somos salvos ou filhos de Abraão, precisamos ser curados e cheios do espírito santo!
“Por que motivo não se devia livrar deste cativeiro, em dia de sábado, esta filha de Abraão, a quem Satanás trazia presa há dezoito anos?” V. 16
3. Não basta dizermos que frequentamos uma igreja e participamos de um culto, precisamos ser verdadeiros adoradores!
“e, impondo-lhe as mãos, ela imediatamente se endireitou e dava glória a Deus” (v.13).
Observamos que Jesus, ao entrar naquela sinagoga não se preocupou com a tradição, o legalismo, e a formalidade da sinagoga, mas diz o texto que ele viu a aflição e o jugo que estava sobre aquela mulher “O chefe da sinagoga, indignado de ver que Jesus curava no sábado, disse à multidão: Seis dias há em que se deve trabalhar; vinde, pois, nesses dias para serdes curados e não no sábado” (v.14),
Com base nisto entendemos que:
a. Jesus está interessado nas nossas vidas. 
“Vendo-a Jesus, chamou-a e disse-lhe: Mulher, estás livre da tua enfermidade” (v.12).
b. Jesus Tem poder para nos endireitar em toas as áreas. 
“eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (João 10.10b).
c. Jesus quer nos dar uma alma livre para adorá-lo. 
Quando a mulher se endireitou ela deu Glória a Deus! “e, impondo-lhe as mãos, ela imediatamente se endireitou e dava glória a Deus” (v.13).
Conclusão: Se estivermos vivendo uma vida dessa forma, uma vida limitada, é hora de mudarmos. O que devemos então fazer?
1. Ouvir a voz de Jesus (Jesus chamou àquela mulher, ela foi curada).
2. Tomar uma atitude (a mulher tomou uma atitude – endireitou-se).
3. Dar glória a Deus (o louvor é a base para uma vida de otimismo e vitória).
Prs. Paulo Cezar Martins & Cleir Maria Fernandes Martins

Os quatro degraus da queda de Pedro [sermão]

 Texto: “Ele, porém, respondeu: Senhor, estou pronto a ir contigo, tanto para a prisão como para a morte. Mas Jesus lhe disse: Afirmo-te, Pedro, que, hoje, três vezes negarás que me conheces, antes que o galo cante” (Lucas 22.33, 34).
Introdução: Antes de Pedro tornar-se um apóstolo cheio do Espírito Santo, um pregador ungido e um líder eficaz, revelou sua fraqueza e chegou ao ponto de negar a Jesus. Pedro caiu, suas lágrimas foram amargas, mas sua restauração foi completa. A queda de Pedro passou por alguns estágios. A seguir, mostraremos os quatro degraus de sua queda.
1. Autoconfiança 
“Ele, porém, respondeu: Senhor estou pronto a ir contigo, tanto para a prisão como para a morte” (Lucas 22.33).
Quando Jesus alertou Pedro acerca do plano de Satanás de peneirá-lo como trigo, Pedro respondeu que estava pronto a ir com Ele tanto para a prisão como para a morte. Pedro subestimou a ação do inimigo e superestimou a si mesmo. Ele pôs exagerada confiança no seu próprio “eu”, e aí começou sua derrocada espiritual. Este foi o primeiro degrau de sua queda.
Estamos vivendo o apogeu da psicologia de autoajuda. As livrarias estão abarrotadas de obras que nos ensinam a confiar em nós mesmos. O cristianismo diz exatamente o contrário. Somos fracos e limitados. Não podemos andar escorados no bordão da autoconfiança. Precisamos mais da ajuda do alto do que a autoajuda.
2. Indolência 
“Levantando-se da oração, foi ter com os discípulos, e os achou dormindo de tristeza, 46e disse-lhes: Por que estais dormindo? Levantai-vos e orai, para que não entreis em tentação” (Lucas 22.45, 46).
O mesmo Pedro que prometeu fidelidade a Cristo e a disposição de ir com ele para a prisão e a morte, agora está cativo do sono no jardim do Getsemani no auge da batalha. Faltou-lhe a percepção da gravidade do momento. Faltou-lhe vigilância espiritual. Estava entregue ao sono em vez de guerrear com Cristo contra as hostes do mal. A fraqueza espiritual de Pedro fê-lo dormir e, ao dormir, fracassou no teste da vigilância espiritual.
As palavras de Pedro eram de confiança, mas suas atitudes, trôpegas. Promessas desprovidas de poder evaporam na hora da crise. O sono substituiu a autoconfiança. O fracasso se estabeleceu no palco da arrogância.
3. Precipitação 
“Um deles feriu o servo do sumo sacerdote e cortou-lhe a orelha direita” (Lucas 22.50).
Quando os soldados romanos, liderados por Judas Iscariotes e pelos principais sacerdotes, prenderam a Jesus, Pedro sacou sua espada e cortou a orelha do servo do sumo sacerdote. Sua valentia era carnal. Porque dormiu e não orou, entrou na batalha errada, com as armas erradas e a motivação errada. Pedro deu mais um passo na direção da queda. Ele deslizou mais um degrau rumo ao chão. Nossa luta não é contra carne e sangue. Precisamos lutar não com armas carnais, mas sim com armas espirituais.
Precisamos entrar nessa guerra com os olhos no céu e os joelhos no chão. Precisamos despojar-nos da autoconfiança para recebermos o socorro que vem do alto.
4. Seguia a Jesus de longe
“Então, prendendo-o, o levaram e o introduziram na casa do sumo sacerdote. Pedro seguia de longe” (Lucas 22.54).
Depois que Cristo foi levado para a casa do sumo sacerdote, Pedro mergulhou nas sombras da noite e seguia a Jesus de longe. Sua coragem desvaneceu. Sua valentia tornou-se covardia. Seu compromisso de ir com Jesus para a prisão e a morte foi quebrado. Sua fidelidade incondicional ao Filho de Deus começou a enfraquecer. Não queria perder Jesus de vista, mas também não estava disposto a assumir os riscos de sua ligação com Ele.
Ainda hoje há muitos crentes seguindo Jesus de longe. Ainda guardam certo temor de Deus, mas ao mesmo tempo anestesiam a consciência vivendo em práticas erradas. Dizem-se seguidores de Cristo, mas seus pés estão fincados nas sendas sinuosas que desviam do caminho da verdade. Dizem amar a Deus, mas suas atitudes e obras provam o contrário. Estão na igreja, mas ao mesmo tempo, estão no mundo. Frequentam os cultos, mas o coração está longe do Senhor.
Conclusão: Ao olharmos para a vida de Pedro, estamos diante do espelho. Muitas vezes somos como Pedro. Mostramos autoconfiança, não oramos, somos precipitados e, seguimos Jesus de longe. Todavia, não podemos perder o foco. O Eterno não desiste de nós, assim como não desistiu de Pedro. Como diz o lindo cântico: “Eu quero voltar ao primeiro amor”! Que seja assim, para a glória Dele. Amém!
Pr. Marcelo Oliveira

A Bíblia, sua inspiração e seu valor [Esboço de sermão]

 Introdução: A linguagem hebraica foi a dos hebreus, ou israelitas, durante o tempo de sua independência. – Este povo era conhecido por Hebreu ou Judeu, e não pelo nome de Israelita. – Com a queda de Samaria, em 722 A.C., extinguiu-se a língua falada e foi substituída pela aramaica – de Aram.
O aramaico, como o hebraico, é de origem semítica – Babilônia, Assíria; foi a linguagem falada por Cristo e seus discípulos.
I – O que a Bíblia diz de si mesma.
1. Diz ser a Palavra de Deus. - II Samuel 23:2; Jeremias 1:9; Ezequiel 3:4.
2. Diz ser a verdade. - João 17:17; 10:35.
3. O Espírito Santo dirigiu a mente dos homens de Deus para escrevê-la. - I Coríntios 2:13; II Pedro 1:20,21; Hebreus 1:1,2.
II – Ela é uma palavra viva. - I Pedro 1:23; Hebreus 4:12.
1. Dá vida. - João 11. - A criação. - João 1:1-4.
a) Aparentemente não há vida no grão de milho ou feijão.
Assim é com a Palavra.
2. É continuamente nova. Outros livros ficam velhos mas Ela é sempre nova.
3. Não se pode destruir. – As perseguições e fogueiras. Os martelos e a bigorna. Voltaire.
4. É fácil de se adaptar. – Salmo 119:130.
5. Cresce. – Mateus 13:1-13; Atos 6:7.
6. Transforma a vida - Madalena.
7. Transforma nações - Inglaterra, China etc.
III – Como deve ser lida.
1. Dedicar-lhe um tempo certo cada dia.
2. Estudá-la com reverência - João 8:47; Lucas 8:47 - e pedir sempre o auxilio do Espírito Santo para podermos compreendê-la. - João 14:26.
3. Lê-la com um lápis na mão.
4. Procurar tirar um proveito pessoal da leitura.

A infalibilidade da Bíblia [Esboço de sermão]

 Texto: Josué 23:14-16
Introdução: A confiança de um povo do passado na Palavra, a ponto de entregar as suas vidas etc.
Qual o motivo que o levou a tanto?
Estaria certo ou errado?
I – O cumprimento do que Deus dissera de Israel. - V. 14.
1. Enquanto andava nos caminhos de Deus, tudo corria bem a Israel. - V. 15.
2. Desviando-se, vinha o mal. - V. 16.
3. Mas Israel apostatou e o resultado foi a sua rejeição e dispersão entre as nações. – Deuteronômio 28:64.
II – O cumprimento das Escrituras à luz da história.
l. O sonho de Nabucodonosor e os quatro reinos ou monarquias universais. – Daniel 2:1; 26-44.
III – O cumprimento das profecias de Cristo - Mat. 24.
1. A destruição de Jerusalém - Vs. 1, 2 - no ano 70 A.D.
2. A grande tribulação. - V. 9. Refere-se à inquisição durante os séculos passados - Espanha, Portugal etc. Morreram 50 milhões.
3. Guerras. - Vs. 6 e 7.
a) As guerras de hoje não são de conquista, mas de extermínio aterrador.
4. Fomes – assolam todo o mundo.
5. Pestes – nos homens, animais e vegetais.
6. Sinais no mundo social. - II Timóteo 3:1-5.
IV – Tudo passa, a palavra permanece infalível.
1. O cumprimento exato das profecias é um desafio que Deus lança à incredulidade.
2. A PALAVRA é uma luz nas trevas. - II Pedro 1:19.
3. É uma bússola segura que aponta para o céu.
4. Quem se deixar guiar por Ela terá a vida eterna. – Apocalipse 3:20.A infalibilidade da Bíblia [Esboço de sermão]
Texto: Josué 23:14-16
Introdução: A confiança de um povo do passado na Palavra, a ponto de entregar as suas vidas etc.
Qual o motivo que o levou a tanto?
Estaria certo ou errado?
I – O cumprimento do que Deus dissera de Israel. - V. 14.
1. Enquanto andava nos caminhos de Deus, tudo corria bem a Israel. - V. 15.
2. Desviando-se, vinha o mal. - V. 16.
3. Mas Israel apostatou e o resultado foi a sua rejeição e dispersão entre as nações. – Deuteronômio 28:64.
II – O cumprimento das Escrituras à luz da história.
l. O sonho de Nabucodonosor e os quatro reinos ou monarquias universais. – Daniel 2:1; 26-44.
III – O cumprimento das profecias de Cristo - Mat. 24.
1. A destruição de Jerusalém - Vs. 1, 2 - no ano 70 A.D.
2. A grande tribulação. - V. 9. Refere-se à inquisição durante os séculos passados - Espanha, Portugal etc. Morreram 50 milhões.
3. Guerras. - Vs. 6 e 7.
a) As guerras de hoje não são de conquista, mas de extermínio aterrador.
4. Fomes – assolam todo o mundo.
5. Pestes – nos homens, animais e vegetais.
6. Sinais no mundo social. - II Timóteo 3:1-5.
IV – Tudo passa, a palavra permanece infalível.
1. O cumprimento exato das profecias é um desafio que Deus lança à incredulidade.
2. A PALAVRA é uma luz nas trevas. - II Pedro 1:19.
3. É uma bússola segura que aponta para o céu.
4. Quem se deixar guiar por Ela terá a vida eterna. – Apocalipse 3:20.

SER GRATO A DEUS FAZ BEM AO CÉREBRO


NEUROLOGISTA DIZ QUE SER GRATO A DEUS FAZ BEM AO CÉREBRO: “PROVOCA MUDANÇAS NO CORPO”

Especialistas garantem: a gratidão é agradável não somente a Deus, mas também à saúde do corpo. Segundo o neurologista David Perlmutter, ser grato a Deus pode fortalecer o cérebro.

“Estou falando da gratidão em termos de ação”, disse ele em entrevista à CBN News. “A expressão de gratidão ultrapassa os nossos pensamentos. Ela se estende para nossas ações do dia a dia”.

“Nós sabemos que quando participamos de ações que estão em torno da gratidão, o que é certamente nossa nobre obrigação, há mudanças químicas no corpo e no cérebro que são boas para nós”, afirmou o Dr. Perlmutter.

O médico prosseguiu explicando: “Temos redução em vários produtos químicos de estresse que são prejudiciais, como o cortisol, e fomentamos o crescimento de certas áreas do cérebro que aumentam a percepção do mundo como um bom lugar”.

Perlmutter explica que quanto menos enxergamos o mundo de forma positiva, mais o cérebro o encara de maneira negativa. “Portanto, é a prática da oração, da expressão de gratidão e do amor no dia a dia que nos envolve e, por fim, tem uma positividade muito autossuficiente. É bom para o nosso cérebro e para a saúde”.

O especialista ainda enfatizou que ser grato pode provocar um impacto positivo nos relacionamentos.

“Ao expressarmos gratidão, mudamos a maneira como vemos o mundo. O mundo parece menos ameaçador. Nos tornamos mais propensos a engajar esses relacionamentos com outras pessoas e sentimos que outras pessoas estão sendo abençoadas”, observa.

Guiame, com Informações de Cbn News

Por Litrazini

A SUBMISSÃO BÍBLICA

 
O QUE É SUBMISSÃO?
Não é mera obediência externa, nem tão pouco quando controlado. Submissão é prestar obediência inteligente a uma autoridade delegada. É exteriorizar um espírito submisso, mesmo quando ninguém está por perto. É renunciar à opinião própria quando se opõe à orientação daqueles que exercem autoridade sobre nós.

“Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus”, “antes a si mesmo se esvaziou”… “a si mesmo se humilhou”, “tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz” (Fp 2 5-8).

UM PRINCÍPIO DE DEUS
“Tem porventura o Senhor tanto prazer em holocausto e sacrifícios quanto em que se obedeça a sua palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender melhor do que a gordura de carneiros. Porque a rebeliãoé como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como idolatria e culto a ídolos do lar. Visto que rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei.” 1Sm 15.22-23

Toda a alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus. Por isso quem resiste à potestade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação. Romanos 13.1,2

PRINCÍPIO SATÂNICO
Como caíste desde o céu, ó Lúcifer, filho da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo. Is 14.12-15

DEUS DELEGA AUTORIDADES EM TODAS AS ÁREAS DA VIDA:
Civil: Rm 13.1-3.
Trabalho: Ef 6.5-6; Tt 2.9-10; 1 Tm 6.1-2.
Família: Ef 5.22-24; 6.1-4.
Igreja: 1Co 12.28; Hb 13.17

Todo discípulo do Senhor, onde estiver, procura saber quem é a autoridade, para a ela se submeter.

Pr. João Flávio Martinez 

Por Litrazini