BENVINDO

Minha foto

 Sou servo do Senhor desde 2001,sirvo a Deus na Igreja do Evangelho Quadrangular,  obreiro formado no Instituto Teológico Quadrangular, professor da Escola Bíblica,  casado com Elisângela a 25 anos , pai de 2 filhos maravilhosos,  buscando cada dia conhecer mais ao Senhor. Meu maior desejo é ser " uma bênção" e abençoar àqueles que estão perto e através da web os que estão longe.  Que as bênçãos do Senhor seja transbordante sobre a sua vida, sobre sua casa , sobre sua família, sobre o seu ministério, querido(a) e amado(a) irmão(ã) em Cristo Jesus. 

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Perdido Dentro da Igreja

 Texto: Lucas 15.25-32
Introdução: O texto de Lucas 15.25-32, fala sobre o irmão do filho pródigo. Ele aponta o terrível perigo de estar na casa do pai, dentro da igreja, obedecendo leis, cumprindo deveres, sem se enveredar pelos antros do pecado, e ainda assim, estar perdido. Podemos chegar a essa conclusão pelas seguintes razões:
1. Vive dentro da igreja, mas não é livre – “Mas ele respondeu a seu pai: Há tantos anos que te sirvo sem jamais transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito sequer para alegrar-me com os meus amigos” (v. 29)
- Ele não vive como filho, mas como escravo. Faz as coisas certas com a motivação errada. Sua obediência não provém do coração, mas da obrigação. Ele nunca entendeu o que é ser filho. Nunca conheceu o amor do Pai. Muitos, também, estão na igreja por uma mera obrigação. Obedecem, mas não têm alegria. Estão na casa do Pai, mas vivem como escravos.
2. Vive dentro da igreja, mas está com o coração cheio de amargura – “Mas ele respondeu a seu pai: Há tantos anos que te sirvo sem jamais transgredir uma ordem tua, e nunca me deste um cabrito sequer para alegrar-me com os meus amigos; vindo, porém, esse teu filho, que desperdiçou os teus bens com meretrizes, tu mandaste matar para ele o novilho cevado” (v. 29,30)
- O filho mais velho irrita-se com a misericórdia do Pai. Ele não se alegra com a restauração do seu irmão caído. Para ele quem erra não tem chance de restauração nem deve ser objeto de perdão. Na religião dele não havia agenda para o amor. Mas a Palavra de Deus diz que quem não ama a seu irmão ainda permanece nas trevas. O ódio que ele sentia pelo irmão não era menos grave que o pecado de dissolução que outro cometera fora da igreja. O ressentimento que crepitava em seu coração o isolou do Pai e do irmão. Ele se recusou a entrar em casa para celebrar a volta do irmão arrependido, antes se encolheu magoado, revoltado, envenenado pela mágoa destruidora.
3. Vive dentro da igreja, na presença do Pai, mas anda como solitário – “Então, lhe respondeu o pai: Meu filho, tu sempre estás comigo; tudo o que é meu é teu” (v. 31)
- Ele anda sem alegria. Está na casa do Pai, mas não tem comunhão com ele. Muitos também estão na igreja, mas não têm intimidade com Deus, não desfrutam da alegria da salvação, não experimentam as doces consolações do Espírito, vivem como órfãos, sozinhos, curtindo uma solidão dolorosa.
4. Vive dentro da igreja, mas não se sente dono do que é do Pai – “Então, lhe respondeu o pai: Meu filho, tu sempre estás comigo; tudo o que é meu é teu” (v. 31)
- Ele era rico, mas estava vivendo na miséria. Tinha toda a riqueza do Pai à sua disposição, mas vivia como escravo. Era filho, mas não banqueteava com os seus amigos. Assim, também, muitos vivem na igreja sem experimentar os banquetes do céu, servindo a Deus por obrigação, sem alegria no coração.
Conclusão: O mesmo Pai que saiu para abraçar o filho pródigo arrependido sai para conciliar este filho revoltado. O arrependido, com o coração quebrantado, festejou a sua restauração; o outro ficou do lado de fora, perdido, com o coração endurecido.
Rev. Hernandes Dias Lopes

Atitudes para uma Transformação Radical


Introdução: Não adianta nada ficarmos parados, só reclamando de tudo e de todos, precisamos tomar atitudes e decisões para que a nossa transformação ocorra e para que o milagre aconteça. É preciso considerar também que, pequenas decisões muitas vezes são responsáveis por grandes mudanças e transformações.
Veja as atitudes do homem da mão ressequida:
I. A ATITUDE DE SE LEVANTAR 
“Disse-lhe Jesus: Levanta-te” (v.3).
Este comando de Jesus significava que:
1. Aquele homem precisava tomar uma postura diferente.
2. Precisava tomar uma nova posição.
3. Precisava sair da acomodação e da inércia para experimentar o milagre e a cura de Jesus.
4. O pior inimigo dos milagres é a paralisia espiritual e a acomodação.
II. A ATITUDE DE VIR PARA O MEIO
"Disse-lhe Jesus: Vem para o meio" (v.3).
Este comando de Jesus significava que:
1. Ele deveria ir ao encontro da pessoa certa (Jesus Cristo).
2. Ele precisava aceitá-lo e recebê-lo em sua vida (Mateus 11.28,29).
3. Antes de recebermos o milagre precisamos receber o Deus dos milagres.
III. A ATITUDE DE ESTENDER A MÃO
"Disse ao homem: Estende a tua mão. Ele a estendeu, e a mão foi-lhe restaurada completamente” (v.5).
Este comando de Jesus significava que:
1. Ele Precisava segurar a sua benção, tomar posse.
2. Ele Precisava crer, ter uma atitude de fé.
3. Se quisermos a benção temos que agarrá-la numa atitude de fé.
Conclusão: Tome uma nova postura e uma nova atitude diante de Deus neste dia. Levante-se da paralisia espiritual e corra para os braços de Jesus, estenda as mãos e agarre a benção meu irmão!
Prs. Paulo e Cleir

Diante da Luta, Confie no Senhor e Vença


Introdução: Quantas vezes temos nos deparado com situações onde as sensações de impotência, de medo e de derrota, têm falado mais alto em nossas mentes e corações? E isso mesmo antes que a palavra final sobre tal situação já tenha sido dada.
São situações no casamento, no trabalho, na igreja, onde por mais que tentemos, não conseguimos ver uma solução, onde nossos sonhos mais parecem ser apenas uma vaga lembrança, uma promessa vazia e distante.
E diante dessas situações de aperto, acabamos por ficar paralisados, sem nada fazermos para que algo mude; ficamos inertes esperando a derrota final ou quem sabe, muito raramente, ainda acreditamos em um milagre.
Amado talvez a luta que você vive hoje pode ser muito grande, muito complicada, muito maior do que você, mas com certeza ela nunca será maior que o Deus a quem você serve.
Então, vejamos algumas coisas que podemos e precisamos mudar diante destas situações para que o quadro fique a nosso favor.
1. DIANTE DE UM GRANDE PROBLEMA NÃO CONGELE; MARCHE, LUTE
Israel ao ser afrontado pelo gigante ficou congelado de medo, não conseguia tomar a iniciativa de reação e dia, após dia, era humilhado pelo seu inimigo.
Enquanto todos estavam parados, sem tomar um posicionamento o exército inimigo tomava a frente, e se fortalecia crendo na vitória certa.
Quando todos estiverem olhando apenas o problema, a afronta mova-se dê o primeiro passo, faça a diferença. Deus só precisa que um comece a fazer que comece a buscar e orar, para que Ele dê a Vitória.
O problema é em casa? Sente-se sozinho? Lute, creia, persevere, pois Deus é contigo, faça a diferença. Quando Davi se movimentou e fez a diferença, todo o exército se moveu e a vitória foi dada a Israel no nome do Senhor nosso Deus.
2. NÃO DÊ OUVIDOS AO QUE O INIMIGO FALA; ELE É MENTIROSO
O exército de Israel estava pronto para a batalha, pronto para a guerra, porém quando iam à direção do seu objetivo pararam e ouviram os argumentos do inimigo, e após terem ouvido temeram.
Não tente negociar nada com o nosso inimigo, nossos ouvidos não foram feitos para serem depósitos de suas mentiras, mas foram feitos para ouvir a voz do Nosso Senhor. Aleluia.
Davi quando analisou a situação, não deu ouvidos ao que o inimigo dizia, mas tomou para si o que Deus já havia feito na vida dele, apenas agiu conforme ele sabia que Deus faria em sua vida.
Ele não acreditava em circunstâncias, mas sim no Deus da fidelidade.
3. LEMBRE-SE: VOCÊ NÃO LUTA NA SUA FORÇA, MAS NA FORÇA DO SENHOR ENTÃO FAÇA A DIFERENÇA
Se Davi olhasse num espelho, ou se desse ouvidos as palavras de Saul dizendo que ele não poderia vencer, pois era apenas um jovem e que ele era um verdadeiro guerreiro, então Davi deixaria de lado o sonho de ver o exército de Israel derrotar seu inimigo.
Quando os argumentos do inimigo não fazem efeito sobre nossa fé, então temos de tomar cuidado com as palavras de alguns amigos, que não nos vêem como Deus vê, eles nos vêem como pessoas cheias de problemas, às vezes de pequena fé, de pouca preparação, e ficam temerosos em nos encorajar a fazer algo, pois não crêem que Deus irá conosco, não conhecem o projeto de Deus para as nossas vidas, e analisam tudo de forma racional e lógica, trazendo palavras que nos desencorajam a ir em frente e vencer, nos afastando de nossos sonhos.
Quando temos um propósito no Senhor, e temos em Deus essa convicção precisamos ir adiante e fazer tudo conforme Deus nos ordenar a fazer, para assim sermos abençoados, pois nada faremos de nós mesmos, mas sim na força e na direção do Senhor.
4. QUANDO RESOLVEMOS FAZER A DIFERENÇA, OUTROS TAMBÉM SE MOVEM
Depois que Davi fez a diferença, cai as escamas espirituais dos olhos do exército de Israel, e então eles conseguem perceber a realidade da vitória do Senhor sobre os inimigos.
Às vezes as pessoas que nos cercam não conseguem ver o agir e a providência de Deus em nossa vida, mas quando vamos em frente e o Senhor com seu poder começa a nos abençoar, isso serve de encorajamento para que outros sigam em frente também deixando de lado as coisas erradas, os medos e marchando para a vitória em Cristo Jesus, unindo-se a nós e alcançando a concretização de seus sonhos.
Conclusão: Deus te chamou para ser vencedor, para fazer a diferença e não quer que você pense que os sonhos Dele para você morreram, porque esses sonhos só param enquanto você estiver parado.
Não pare de lutar, continue, vença, pois o Senhor sonha junto contigo e você não estará sozinho. Aleluia, AMÉM!
Pr. Walter Louzada Belidio de Moraes e Pra. Ana Lúcia Barbosa de Souza Moraes

Poupados no Tempo da Adversidade


Introdução: Estamos perplexos com todos os acontecimentos dos dias atuais. Desde as terríveis calamidades que são desencadeadas pelo desequilíbrio climático as não menos terríveis pandemias que acometem as massas, trazendo mortandade e tumulto entre as autoridades e porque não dizer a todos nós. Há uma diferença entre os ignorantes acerca das profecias e aqueles que avisados pela santa escritura e despertados continuamente pelo Espírito Santo, em sua maneira de encarar tais fatos e no tipo de vivência que terão daqui por diante. É sobre isso que queremos compartilhar, trazendo a nossa memória a Palavra de Deus e seus princípios que nos guiarão nesses tempos adversos.
1. Falando cada um ao seu companheiro – A Bíblia nos declara que se nós falarmos uns com os outros em salmos, em hinos, e cânticos espirituais, seremos cheios do Espírito Santo (Efésios 5: 19). Então, nesses dias a primeira providência que devemos tomar é estar em nossos lábios a Palavra de Deus, suas promessas, a verdade que está acima de todos os fatos, calamidades e assolações. Devemos sim conservar firme nossa mente (Isaias 26: 3) tornando-a cativa a verdade, pois Ela sim, nos garantirá equilíbrio, principalmente fé (Romanos 10: 17), e imunidade, pois as promessas de livramento nos últimos tempos estão contidas para o povo separado de Deus. Console seus familiares, exorte-os à fé em Jesus, fale ao seu companheiro e crie um ambiente de fé regado por declarações da verdade e o Espírito trará vida a cada uma dessas palavras, pois Ele atenta e ouve.
2. Andar em justiça e em verdade para se inscrever nos registros eternos – O texto Bíblico declara que há um memorial diante do Senhor, que registra os atos daqueles que temem ao Senhor, e para os que se lembram do seu nome. É tempo e sempre foi tempo de se andar na presença do Deus Vivo. Nos dias adversos temos que constar nos anais eternos e termos crédito de justiça, fé e amor pelo Senhor. Aquele que habita no esconderijo do Senhor, zelando pela sua Palavra para fazê-la cumprir em sua vida, aquele que têm pago o preço de servi-lo com integridade são reconhecidos pelo Pai e os seus nomes estão diante dos seus olhos.
3. Saber de quem somos e viver para quem nos possui (V.17) - A Bíblia é muito clara, quando Ela nos diz: “E eles serão meus, diz o Senhor dos Exércitos”. O grande diferencial nesses dias será quem pertence a quem. Se pertencermos a nós mesmos, ou se nossa vida foi totalmente entregue nas mãos do Senhor e para Ele estamos vivendo. Porque para quem vive em Deus Ele diz: “Serão para mim particular tesouro; vou poupá-los como um homem poupa a seu filho, que o serve”. Em Cristo estamos libertos dos perigos e calamidades desse tempo. Que grande promessa! Que grande livramento! Tomemos posse dessa verdade, permitindo que o Senhor domine todas as áreas de nossa vida e a promessa certamente se manifestará trazendo livramento a nós, povo de Deus.
4. Viver de modo diferente para ser tratado de modo diferente (v.18) - Os dias que se seguirão demonstrarão quem serve a Deus e quem não serve. O que viver para Deus subsistirá da vida que Ele doar. A benção, os livramentos, a provisão, a estrutura familiar, estabelecerão um contraste em comparação com aqueles que não servem a Deus. Não estamos dizendo que os que são religiosos, ou frequentadores de igrejas estarão incluídos nessa promessa. Mas os que fazem a vontade do Senhor, os que ouvem a sua voz, os que amam a sua presença, os que buscam a sua santidade, os que desejam ardentemente viver e andar em justiça, não para se destacar ante aos homens, mas por um desejo real de agradar aquele a quem tanto amam.
O Salmista nos diz: “Pois que tão encarecidamente me amou, também eu o livrarei; pô-lo-ei num alto retiro, porque conheceu o meu nome. Ele me invocará, e eu lhe responderei; estarei com ele na angústia; livrá-lo-ei e o glorificarei. Dar-lhe-ei abundância de dias, e lhe mostrarei a minha salvação” (Salmo 91.14-16).
Conclusão: Deus tem livramento para nos dar nestes dias. São dias difíceis, mas também serão dias gloriosos para aqueles que temem o nome do Senhor. Tomemos posse dessa Palavra e veremos a diferença entre aqueles que são filhos de Deus e aqueles que não são filhos de Deus.
Glórias ao Senhor
Prs. Israel e Ludmila

A Felicidade daquele que Teme ao Senhor


Introdução: Este salmo de louvor enfatiza a justiça, a retidão e a recompensa daquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos.
Recebamos os ensinamentos do salmista:

A – O posicionamento e a consagração de um justo.

1 – Ele teme a Deus e ama a sua Palavra.
“Aleluia! Bem-aventurado o homem que teme ao Senhor e se compraz nos seus mandamentos” (v.1).
Feliz, mais do que feliz, é aquele que faz com prazer o que o Pai ordena, isto é, tem prazer nas coisas de Deus, porque os seus mandamentos não são pesados.
2 – Ele é compassivo e justo.
“Ao justo, nasce luz nas trevas; ele é benigno, misericordioso e justo” (v.4).
Até no meio das trevas o íntegro será iluminado, as trevas não o atingirá porque ele é misericordioso, compassivo e justo.
3 – Ele dá com liberalidade e generosidade.
“Ditoso o homem que se compadece e empresta; ele defenderá a sua causa em juízo. Distribui, dá aos pobres; a sua justiça permanece para sempre, e o seu poder se exaltará em glória” (vs.5,9).
Ele conduz a sua vida, os seus negócios e os seus relacionamentos de forma justa. Então ele será poderoso e respeitado.

B – A compensação ou recompensa do justo.

1 – Seus filhos serão bem-sucedidos.
“A sua descendência será poderosa na terra; será abençoada a geração dos justos” (v.2).
Uma geração inteira será abençoada. Virá sobre toda a sua descendência um peso de honra, por causa do seu posicionamento justo e íntegro.
2 – Ele terá influência e honra.
“Distribui, dá aos pobres; a sua justiça permanece para sempre, e o seu poder se exaltará em glória” (v.9).
O Senhor o exalta fazendo com que se torne influente e respeitado onde estiver.
3 – Na sua casa há muita riqueza, e ele é sempre bem-sucedido.
“Na sua casa há prosperidade e riqueza, e a sua justiça permanece para sempre” (v.3).
Veja que ele terá além da riqueza em sua casa, também a prosperidade, isto é, ser bem-sucedido em tudo o que fizer. Ele terá o “Eudomai de Deus” significando uma longa e feliz viagem ao longo da vida terrena.
4 – Quem é correto nunca fracassará e será lembrado para sempre.
“Não será jamais abalado; será tido em memória eterna” (v.6).
“O justo jamais será abalado; para sempre se lembrarão dele” (v.6 NVI).
Ele está seguro, o Senhor o firma por isso nunca treme diante das circunstâncias más ou contrárias. O Pai tem um compromisso, uma aliança com ele.
5 - Ele não tem medo de receber más notícias.
“Não se atemoriza de más notícias; o seu coração é firme, confiante no Senhor” (v.7).
A sua fé é forte, pois ele confia plenamente no SENHOR e sabe que jamais será desamparado pelo Pai.
Ele sabe que o Pai é fiel. Veja o que Davi disse como fruto de uma longa experiência com Deus no Salmo 37.25: ”Fui moço e já, agora, sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão”.
6 – Ele triunfa sobre os seus inimigos.
“O seu coração está seguro e nada temerá. No final, verá a derrota dos seus adversários” (v.8 NVI).
“O inimigo o vê e fica irado, range os dentes e definha. O desejo dos ímpios se frustrará” (v.10 NVI).
Ele é confiante, a sua segurança está em Deus. O medo não o tortura. Ele vive em paz. Como resultado, as esperanças do ímpio são frustradas.
Conclusão: O amor a Deus, a obediência aos seus princípios prescritos em sua Palavra, geram alegria, paz, prosperidade, segurança e felicidade.
Aquele que anda nos caminhos do Senhor de nada tem falta e usufrui de qualidade de vida.
Roberto e Lourdes

À Sombra do Onipotente


Introdução: Este salmo expressa a segurança daqueles que confiam plenamente em Deus, nos assegurando que o Senhor será o nosso refúgio e que podemos buscar a sua proteção em tempos de perigo.
1- ENCONTRAMOS PAZ E SEGURANÇA
“O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente diz ao Senhor: Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu, em quem confio. Pois ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa. Cobrir-te-á com as suas penas, e, sob suas asas, estarás seguro; a sua verdade é pavês e escudo” (Vs.1-4).
Através deste salmo aprendemos que Deus proporciona segurança a todos aqueles que se colocam debaixo da sua vontade e que buscam diariamente habitar em Sua poderosa presença.
O esconderijo, ou lugar de proteção, é a Palavra de Deus. Se estivermos neste esconderijo todos os dias da nossa vida, encontraremos paz e segurança. Mas se o visitamos apenas de vez em quando não encontraremos descanso, pois só descansa à Sombra do Onipotente aquele que habitar nesse lugar seguro.
Se a sua vida está necessitando de paz e segurança, então você precisa fazer da Palavra de Deus o seu esconderijo secreto para que Deus o proteja debaixo das suas asas lhe proporcionando refúgio, força e confiança.
2- NENHUM MAL NOS ACONTECERÁ
“Pois disseste: O Senhor é o meu refúgio. Fizeste do Altíssimo a tua morada. Nenhum mal te sucederá, praga nenhuma chegará à tua tenda” (Vs. 9,10).
Nada poderá acontecer aquele que é fiel ao Senhor. Os contratempos, as dificuldades e tudo que acontecer contribuirá para o bem daqueles que fazem do Senhor o seu alto refúgio.
O inimigo tem habilidades para criar laços e situações que nos fazem sofrer muito quando caímos neles. Mas, seja qual for a arapuca que o diabo arme para lhe enredar, não tenham medo; mesmo se tiver caído em alguma, o Senhor o livrará.
Deus socorre aquele que o ama e que tem o coração voltado para Ele. Deus conhece a nossa sinceridade e estará conosco na angústia, ouvirá as nossas orações e suprirá todas as nossas necessidades.
3- CONTAMOS COM A PROTEÇÃO DOS ANJOS
“Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra” (Vs.11,12).
Os anjos são seres espirituais poderosos que foram criados para cumprirem a vontade de Deus e ministrar na vida daqueles que são fiéis ao Senhor (Hebreus 1:14). Mas eles só atuam quando damos voz à Palavra de Deus (Salmo 103:20).
O Senhor deu ordens aos anjos para vigiarem a vida e os interesses daqueles que são fiéis protegendo-os em todas as situações. Porém, os anjos só nos guardam se estivermos andando nos caminhos que o Senhor determinou em Sua Palavra.
Enquanto andarmos à sombra do onipotente poderemos contar com a proteção dos anjos em meio às nossas aflições e lutas espirituais, pois eles nos ajudam a passar por cima das dificuldades, sem tropeçar.
Conclusão: Quando estiver enfrentando momentos de perigos e adversidades, lembre-se de buscar proteção e refúgio à sombra do Deus onipotente, pois ele lhe proporcionará paz e segurança, não permitindo que o mal lhe aconteça e enviando anjos para ministrar em sua vida e protegê-lo do inimigo Amém.
Prs. Jário e Lúcia

Cuide bem de si mesmo


Introdução: No Livro de Provérbios o sábio rei Salomão dá ao seu filho inúmeros conselhos que têm o propósito de proporcionar-lhe sabedoria e entendimento para que ele seja também sábio e prudente na maneira de pensar, falar, olhar e agir. Estes ensinamentos continuam vivos e eficazes ensinando-nos como devemos viver a vida cristã.
1 – Guardando o coração acima de tudo – “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida” (v.23).
Atualmente o nosso cérebro é considerado o centro diretor das atividades humanas, mas para a Bíblia esse centro diretor é o coração, pois segundo ela, no coração que se encontra a fonte dos desejos e das decisões e, para nós, o coração é figurativamente a sede das emoções.
Para termos uma vida de vitória sobre o pecado devemos buscar a pureza da nossa mente. Por isso precisamos guardar o nosso coração para não cedermos aos desejos do pecado, pois o nosso coração é mais enganoso do que todas as coisas (Jeremias 17.9). Além disso, o mal procede da abundância do nosso coração (Lucas 6.45)
2 – Afastando a maldade dos lábios – “Desvia de ti a falsidade da boca e afasta de ti a perversidade dos lábios” (v.24).
A língua é o membro do nosso corpo mais difícil de ser controlado. O Ap. Tiago afirma que ela é indomável (Tiago 3:5-12). As palavras que saem da nossa boca podem gerar bênção ou maldição (Provérbios 18.21). Por isso, devemos refrear a nossa língua do mal (Salmo 34.13).
Só conseguiremos conter a nossa língua através da pureza de mente, pois aquilo que falamos revela a verdadeira condição da nossa mente, se estamos voltados para as coisas celestiais ou se os nossos interesses ainda são terrenos, se estamos nos submetendo à vontade do Senhor ou se a nossa própria vontade ainda nos domina.
3 – Olhos que olham com firmeza – “teus olhos olhem direito, e as tuas pálpebras, diretamente diante de ti” (v.25).
Jesus ensinou que os nossos olhos precisam ser bons para que todo o nosso corpo seja luz (Mateus 6.22). Por isso não devemos nos distrair olhando para cada coisa que surgir em nossa frente, pois isso nos afasta da presença de Deus desviando o nosso pensamento para o mal.
A Bíblia ensina que devemos manter nosso olhar "firme" em Jesus, pois Ele é o autor e consumador da nossa fé (Hebreus 12.2). Foi olhando para Jesus que Pedro conseguiu andar sobre as águas e só afundou quando desviou o seu olhar do mestre. (Mateus 14.25-31).
4 – Ponderando a vereda dos pés – “Pondera a vereda de teus pés, e todos os teus caminhos sejam retos” (v.26).
Devemos sempre meditar e orar antes de agirmos. Nunca devemos agir de maneira intempestiva. Erramos quando não entregamos o nosso caminho nas mãos do Senhor confiando no seu amor e poder.
No versículo 18 Salomão afirma que A Bíblia ensina que "a vereda do justo é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito". Por isso devemos sempre confiar no Senhor, meditando e orando sempre antes de agir, pois assim estaremos desviando os nossos pés do caminho mal.
5 – Ande pelos princípios da Palavra de Deus – “Não declines nem para a direita nem para a esquerda; retira o teu pé do mal” (v.27).
Andar pelos caminhos do Senhor, que trarão vida longa, paz e prosperidade, é uma decisão pessoal, uma atitude de mudança de vida, deixando a derrota e optando pela vitória.
Conclusão: Pureza de mente, sinceridade no falar, firmeza no olhar e cautela no agir são conselhos que o ajudarão a viver bem consigo mesmo, com as pessoas que convivem com você e, acima de tudo, com o Senhor nosso Deus. Amém.

Coisas que Deus Aborrece e Abomina


Introdução: Enquanto aborrecer significa zangar-se, abominar quer repelir com ódio. Devemos evitar estas coisas que Deus aborrece e abomina.
1- OLHOS ALTIVOS
Olhos altivos têm a ver com orgulho e arrogância. A Bíblia ensina que o temor do Senhor consiste em odiar o mal, pois Ele aborrece a soberba, a arrogância, o mau caminho e a boca perversa (Provérbios 8:13)
Vencer a altivez é um dos desafios da vida cristã. Devemos ser obedientes ao Senhor Jesus para podermos anular toda a altivez que venha se levantar contra o conhecimento de Deus (2 Coríntios 10.4-6). Jesus ensinou que aquele que “a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado” (Mateus 23:12).
2- LÍNGUA MENTIROSA E A FALSA TESTEMUNHA
Das sete coisas que Deus aborrece, três são pecados da língua. Deus odeia a mentira e todo mentiroso será castigado por Deus (Salmo 7.12-16). Muitos têm confiado na mentira achando que podem enganar o próprio Deus.
Deus é verdade, e a mentira não vem dele (João 8.44). Temos que aprender falar a verdade (Efésios 4.25). O verdadeiro discípulo é aquele que odeia e abomina a mentira e busca a verdade da Palavra de Deus (Salmo 119.163). Jesus pediu que os seus discípulos fossem santificados na verdade (João 17.17).
3- MÃOS QUE DERRAMAM SANGUE INOCENTE
Devemos procurar ficar longe dos violentos: "Não tenhas inveja dos homens malignos, nem queiras estar com eles, porque o seu coração maquina violência, e os seus lábios falam para o mal”. (Provérbios 24.1-2).
Lamentavelmente a violência está descontrolada em nossa sociedade. Apesar das promessas de segurança feita pelos políticos, precisamos entender que a verdadeira solução para vivermos em paz está em Jesus. (João 14.27).
4- CORAÇÃO QUE TRAMA PROJETOS INÍQUOS
O crescimento da injustiça tem levado muitos ao desespero e à prática da iniquidade. Até mesmo pessoas que dizem ser servos do Senhor e ensinam a Sua Palavra podem ser tentadas a tramarem projetos malignos e pecaminosos.
A Bíblia, porém, nos garante que tudo isto um dia será mudado, pois os braços dos ímpios serão quebrados, mas os justos serão sustentados pelo Senhor (Salmo 37:17).
5- PÉS QUE SE APRESSAM A CORRER PARA O MAL
A Bíblia ensina que ao cedermos à tentação e nos apressarmos em fazer o mal, seremos rejeitados por Deus (Salmo 34:16). Por isso devemos aborrecer o mal e amar o bem (Provérbios 8.13; Tito 1.8). Esses conceitos exigem um novo modo de pensar.
6- O QUE SEMEIA CONTENDAS ENTRE IRMÃOS
A contenda é obra dos maldizentes, pois “não havendo maldizente, cessa a contenda" (Provérbios 26.20). Infelizmente, existem aqueles que se ocupam em falar mal dos outros semeando contendas. Deus detesta tal comportamento, pois "o que ama a contenda ama o pecado” (Provérbios 17.19).
Conclusão: Quando amamos uma pessoa, procuramos evitar as coisas que ela não gosta. Quando Deus diz que detesta essas sete coisas, está dizendo que as pessoas que o amam devem tirar todos esses pecados da própria vida. Amém.
Prs. Jário e Lúcia – 

Tomando Atitudes que Geram Mudanças


Introdução: Tem muitas pessoas que estão paralisadas fisicamente e espiritualmente, estão vagueando, andando em círculos, sem sair da rotina do dia a dia. Não tem alvos, não tem direção, a vida não está focada em nada; querem mudanças, mas não tem coragem para tomar atitudes. Creio, porém, que hoje você começará a experimentar mudanças radicais em sua vida.
1 - O motivo principal que nos leva a perdermos a motivação para viver e conquistar nossos alvos chama-se: Afastamento de Deus e esfriamento espiritual. “Uma vida fora da direção de Deus, significa uma vida sem direção”. Os filhos de Israel começaram a vaguear e andar sem direção porque abandonaram ao Senhor, trocando as virtudes espirituais por cerimônias e rituais - "Se voltares, ó Israel, diz o Senhor, volta para mim; se removeres as tuas abominações de diante de mim, não mais andarás vagueando (Jeremias 4.1), "Porque dois males cometeu o meu povo: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas. Acaso, é Israel escravo ou servo nascido em casa? Por que, pois, veio a ser presa? Os leões novos rugiram contra ele, levantaram a voz; da terra dele fizeram uma desolação; as suas cidades estão queimadas, e não há quem nelas habite" (Jeremias 2.13-15).
2 - Para experimentarmos mudanças, precisamos começar a pensar em coisas novas, em novas atitudes, num novo projeto de vida. A palavra do Senhor exortava ao povo de Israel para que não continuasse a semear entre os espinhos. Isto significava: parar de perder tempo, parar de investir no fracasso, de perseverar no erro e de viver uma vida sem resultados positivos - "Porque assim diz o Senhor aos homens de Judá e Jerusalém: Lavrai para vós outros campo novo e não semeeis entre espinhos" (Jeremias 4.3); Veja Oseias 10.12-15.
3 - Para experimentarmos mudanças radicais, precisamos tomar atitudes espirituais e buscar um novo coração quebrantado e curado. Para que isto aconteça, algumas atitudes são necessárias; como por exemplo: Perdoar, pedir perdão, pagar o que deve, parar de mentir, parar de falar mal dos outros, abandonar o orgulho, deixar a murmuração, deixar a prostituição, o adultério, voltar à vida de intimidade com Deus, voltar a orar, jejuar e a meditação na palavra de Deus - "Circuncidai-vos para o Senhor, circuncidai o vosso coração, ó homens de Judá e moradores de Jerusalém, para que o meu furor não saia como fogo e arda, e não haja quem o apague, por causa da malícia das vossas obras" (Jeremias 4.4); "Então, eu disse: semeai para vós outros em justiça, ceifai segundo a misericórdia; arai o campo de pousio; porque é tempo de buscar ao Senhor, até que ele venha, e chova a justiça sobre vós" (Oseias 10.12); "Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio. Confessei-te o meu pecado e a minha iniquidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniquidade do meu pecado" (Salmo 32.4,5).
Conclusão: Peça ao Senhor para que te ajude a sair da mesmice e de uma vida sem resultados. “Creia que é tempo de mudar, e mudar para melhor”.
Pr. Paulo Cezar Martins

Os Verdadeiros Tesouros Bíblicos


Introdução: Salomão possuía uma grande quantidade de ouro e outros bens, porém, os verdadeiros tesouros que um ser humano pode e precisa alcançar estão listados abaixo.
Vemos na narrativa bíblica que quando o Senhor apareceu a Salomão em sonho e lhe perguntou o que queria, após ele ter apresentado ao Pai mil holocaustos, ele pediu o dom da sabedoria. O seu pedido agradou tanto o coração do Pai que ele recebeu não só sabedoria como uma grande fortuna, prosperidade no seu reino e vida longa. Isto não significa que o ouro e outros bens não sejam importantes, mas sim, que os tesouros eternos são mais importantes, pois dão ao homem qualidade de vida aqui na terra e garante a sua entrada no Reino Eterno do nosso Senhor e salvador Jesus Cristo.
Vejamos esses tesouros:
1 – Reconheçam o verdadeiro valor do sangue do Senhor Jesus Cristo – “sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo” (1 Pedro 1.18,19).
Foi através do sangue de Jesus derramado no calvário que tivemos os nossos pecados perdoados: “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 João 1.7).
Através do sangue derramado somos livres do acusador: “Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida” (Apocalipse 12.11).
2 – Amem a gloriosa e bendita Palavra de Deus – “Para mim vale mais a lei que procede de tua boca do que milhares de ouro ou de prata” (Salmo 119.72)
“Amo os teus mandamentos mais do que o ouro, mais do que o ouro refinado” Salmo 119. 127).
Os princípios estabelecidos na Palavra de Deus trazem estabilidade, equilíbrio, prosperidade, saúde, qualidade de vida e salvação. Por isso são descritos pelo salmista como verdadeiros tesouros.
3 – Desenvolvam e exerçam a fé – “Essas provações são para mostrar que a fé que vocês têm é verdadeira. Pois até o ouro, que pode ser destruído, é provado pelo fogo. Da mesma maneira, a fé que vocês têm que vale muito mais do que o ouro, precisa ser provada para que continue firme. E assim vocês receberão aprovação, glória e honra, no dia em que Jesus Cristo for revelado” (1 Pedro 1.7 NTLH).
A fé é descrita por Pedro como um bem precioso, mais importante que o ouro refinado e traz louvor, glória e honra.
Somente através da fé podemos agradar o coração do Pai e receber dele a recompensa: “Sem fé ninguém pode agradar a Deus, porque quem vai a ele precisa crer que ele existe e que recompensa os que procuram conhecê-lo melhor” (Hebreus 11.6 NTLH).
4 – Sejam mansos - A mansidão é de alto valor diante de Deus – “seja, porém, o homem interior do coração, unido ao incorruptível trajo de um espírito manso e tranquilo, que é de grande valor diante de Deus” (1 Pedro 3.4).
Quer agrada ao Pai? Seja manso. Veja o que diz Mateus 5.5: “Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra” .
Conclusão: O ser humano se afadiga neste mundo atrás de um tesouro transitório, corruptível, por causa de seus valores invertidos. Enquanto que Deus tem para os seus filhos um melhor e maior tesouro incorruptível. Volto a dizer que não precisamos desprezar os tesouros desta terra, porém precisamos ter em mente que eles servem somente para um fim proveitoso, isto é, a nossa subsistência e investimentos no Reino de Deus.